domingo, 5 de março de 2017

Homem conta como tem lidado com a paralisia cerebral: "Deus me fez assim com um propósito"

A maioria das pessoas com alguma doença debilitante não agradeceria a Deus por estar em uma situação dessas, mas para Roger Flournoy, de 43 anos, ter paralisia cerebral é um verdadeiro "dom".

O início de um vídeo intitulado "O Dom da Paralisia Cerebral" é nada menos do que doloroso. Ele começa mostrando Flournoy sentado com as pernas cruzadas no chão de seu apartamento enquanto um cuidador o alimenta, usando uma bandeja de plástico, com uma refeição que foi aquecida no microondas.

Flournoy mastiga sua comida e se vira em direção ao cuidador, que então limpa seu rosto com um guardanapo.

Então, a câmera gira em outra direção para focar em uma placa na parede que diz "Deus te abençoe, Roger" e é aí que o tom da história de Flournoy começa a mudar.

Flournoy nasceu com Paralisia Cerebral e ele precisa de ajuda até mesmo para executar as mais simples tarefas de seu cotidiano. Como ele é solteiro, esses deveres são cumpridos por seus cuidadores.

O vídeo mostra um de seus cuidadores ajudando Roger a usar um barbeador, amarrar seus sapatos e sentar-se em sua cadeira de rodas motorizada.

Quando Flournoy já está ao ar livre, o vislumbre de um sorriso aparece em seu rosto enquanto ele conduz sua cadeira de rodas.

"Eu não posso fazer o que uma pessoa normal consegue facilmente fazer. Eu luto contra a solidão de tempos em tempos, porque eu sei que a maioria dos homens com 43 anos de idade já estão casados, com esposa e filhos. Às vezes eu também quero isso", confessou.

Mas Roger também destacou que reconhece o cuidado de Deus, possibilitando que ele ainda viva em sociedade e interaja com as pessoas:
"Deus tem sido gentil o suficiente para me deixar ter acesso à comunidade e isso realmente me ajuda a não viver na solidão", disse ele.

"Quando luto contra a minha solidão, sempre me lembro e digo para mim mesmo que Jesus é melhor", continuou ele. "Isso é basicamente o que me ajuda a continuar vivendo todos os dias".

Ministério
Roger destacou que sua igreja também o ajuda a combater a solidão. Todos os domingos, ele vai aos cultos em sua congregação, onde serve como recepcionista no culto às 11:15 da manhã.

"Minha parte favorita é ver todos os tipos de rostos", disse ele. "Isso é uma alegria, porque eu reconheço que a igreja é composta de todos os tipos de pessoas".

Flournoy disse que sua fé o lembra que ele é importante, mesmo que outras pessoas lhe digam o contrário.

"Eu não preciso ouvir mentiras, como as que me dizem que sou inválido ou que eu não sou importante", disse ele. "Deus me fez assim e eu nasci com paralisia cerebral, não por causa de um acidente, mas com um propósito".

Roger disse que Deus colocou a paralisia cerebral em sua vida como um tipo de dom e lembrou que ele precisa aproveitar esta oportunidade.

"Ele [Deus] me amou tanto que me deu a paralisia cerebral para que eu possa encorajar todo o Corpo de Cristo e até mesmo os não-crentes", disse ele, acrescentando que se sente muito triste porque "nem todo mundo consegue perceber isso".

"Deus me deu esta vida para não para desperdiçá-la, mas para usá-la", finalizou.

Com informações guiame.com.br

Confira o vídeo abaixo:


0 comentários:

Postar um comentário