segunda-feira, 6 de março de 2017

França: professor é afastado de escola após ler versículos da Bíblia para seus alunos

Um professor de escola primária na França foi suspenso depois de ter lido passagens da Bíblia para seus alunos de nove a onze anos de idade.

O professor, de 40 anos de idade, estava trabalhando para uma escola na comuna de Malicornay, região central da França, de acordo com o jornal 'France Bleu'. Sua atividade de leitura da Bíblia chamou a atenção do diretor da escola, Pierre-François Gachet, depois que um "grupo de pais" escreveu uma carta anônima, queixando-se do “incidente”.

Os pais acusaram o professor, cujo nome não foi revelado, de "proselitismo", ou de tentar converter seus alunos às suas próprias crenças religiosas. Como consequência disso, o diretor suspendeu o professor, alegando que o educador "falhou em observar as leis estritas do laicismo na França, que exigem uma educação isenta da religião".

O conselho escolar nacional está agora conduzindo um inquérito sobre o caso do professor. Gachet disse que os resultados da investigação serão divulgados "antes de meados de março".

Gachet disse ao jornal 'La Croix' que o objetivo da investigação é "determinar se o professor realmente fez uso do proselitismo ou se ele simplesmente agiu com falta de discernimento".

"No mínimo, ele [professor] mostrou um gosto muito forte pelo ensino religioso", acrescentou o diretor.

Mas apesar de sua suspensão, o professor conseguiu o apoio de outras autoridades, como o prefeito local, que apontou a decisão da escola como uma "medida desproporcional", uma vez que o professor sempre foi "muito querido" pelos alunos e pais.

Intolerância
Ao que tudo indica, a divulgação mensagem bíblica não tem levantado "preocupações" apenas na Europa, mas também nos Estados Unidos. É o que mostra, por exemplo, o caso de um garoto que foi proibido de compartilhar versículos bíblicos no horário livre de sua escola, na Califórnia.

"Esta é uma violação clara e grosseira dos direitos de uma criança", disse Horatio Mihet, advogado do Conselho de Liberdade, que representa o aluno da Escola Elementar 'Desert Rose', em Palmdale.

Os pais do menino, Christina e Jaime Zavala, fizeram questão de escrever um bilhete encorajador com versículos bíblicos e deixá-lo dentro da lancheira do menino todos os dias. Seu filho amou os versículos, tanto que ele começou a ler em voz alta para todos os seus amigos.

Não demorou muito para que as crianças lhe pedissem cópias dos bilhetes e os Zavalas ficaram felizes em saber que teriam de escrever ainda mais versículos para seu filho levar à escola.

No entanto, eles foram forçados a parar de enviar as notas, depois de receberem o telefonema de um professor dizendo-lhes que eles "não estão autorizados a compartilhar essas coisas na escola" e até mesmo o vice-xerife da cidade foi enviado pela diretoria da escola à casa da família para dar-lhes uma "advertência amigável".

Com informações guiame.com.br

0 comentários:

Postar um comentário