terça-feira, 7 de outubro de 2014

Candidatos LGBT têm baixa votação nas eleições 2014



Apenas 37 dos 270 candidatos que se declararam favoráveis aos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros conseguiram se eleger nestas eleições.

O levantamento foi feito pela BBC Brasil a partir do cruzamento das candidaturas indicadas pelo movimento #voteLGBT - que mapeou políticos cuja campanha ou atuação parlamentar destacaram questões importantes para esta população - com informações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre os eleitos no último domingo.
Na lista #voteLGBT estão candidatos a senador, deputado federal e deputado estadual filiados a 17 partidos - num espectro que vai do PSDB ao PSTU - em todos os Estados brasileiros.
Proporcionalmente, o Piauí foi o Estado que mais elegeu estes candidatos: metade dos seis mapeados. O Rio de Janeiro vem em seguida, com 30,4% dos 23 candidatos que apóiam a causa LGBT eleitos. O Rio Grande do Norte ficou em terceiro lugar, com 28% (veja quadro).
Entre suas pautas estão a criminalização da homofobia, o direito ao casamento igualitário entre casais do mesmo sexo e o uso em documentos do nome social - e não do nome registrado em certidão de nascimento - por travestis e transexuais.
Mais da metade dos 26 Estados brasileiros, mais o Distrito Federal, não elegeu nenhum dos políticos ligados ao eleitorado homo ou transexual. Dos 37 eleitos, Wyllys é o único cuja principal bandeira e eixo de campanha são as pautas LGBT . Eleito com 144.770 votos, o ex-BBB se tornou o sétimo deputado federal mais votado do Rio de Janeiro em 2014.
São Paulo, principal colégio eleitoral do país, registrou recorde de candidatos declaradamente favoráveis aos direitos dos homo e transexuais - 59 no total.
Destes, quatro foram eleitos deputados federais - Paulo Teixeira (PT), Floriano Pesaro (PSDB), Ivan Valente (PSOL) e Orlando Silva (PCdoB) - e dois assumirão o cargo de deputados estaduais - Leci Brandão (PCdoB) e Carlos Giannazi (PSOL).
Entre os 53 não eleitos está o ativista LGBT Todd Tomorrow (PSOL), que obteve 19.313 votos. Ele ficou em terceiro lugar entre os deputados estaduais mais votados de sua legenda - que só conseguiu eleger os dois primeiros.
Para Tomorrow, o desempenho dos candidatos LGBT ao legislativo teria sido melhor se os partidos tivessem aproveitado as discussões sobre o tema entre os presidenciáveis.
"Acho que foi um erro de avaliação dos partidos. A pauta LGBT não costuma ser central, mas durante o debate eleitoral ganhou o centro. Naquele momento os partidos deveriam ter destacado suas candidaturas LGBT, mas preferiram não se expor para não perderem o voto conservador", afirma.
Do total de 270 candidatos mapeados como favoráveis às pautas LGBT, 37 se elegeram, veja a lista por estados:

ACRE: 2 candidatos / 0 eleitos
ALAGOAS: 1 candidata / 0 eleitos
AMAPÁ: 2 candidatos / 0 eleitos
AMAZONAS: 1 candidato / 0 eleitos
BAHIA: 10 candidatos / 2 eleitos
CEARÁ: 12 candidatos / 2 eleitos
DISTRITO FEDERAL: 20 candidatos / 1 eleita
ESPÍRITO SANTO: 7 candidatos / 0 eleitos
GOIÁS: 12 candidatos / 1 eleito
MARANHÃO: 3 candidatos / 0 eleitos
MATO GROSSO: 2 candidatos / 0 eleitos
MATO GROSSO DO SUL: 4 candidatos / 0 eleitos
MINAS GERAIS: 18 candidatos / 3 eleitos
PARÁ: 7 candidatos / 0 eleitos
PARAÍBA: 6 candidatos / 1 eleita
PARANÁ: 13 candidatos / 0 eleitos
PERNAMBUCO: 16 candidatos / 4 eleitos
PIAUÍ: 6 candidatos / 3 eleitos
RIO DE JANEIRO: 23 candidatos / 7 eleitos
RIO GRANDE DO NORTE: 7 candidatos / 2 eleitos
RIO GRANDE DO SUL: 18 candidatos / 4 eleitos
RONDÔNIA: 1 candidata / 0 eleitos
RORAIMA: 2 candidatos / 0 eleitos
SANTA CATARINA: 12 candidatos / 0 eleitos
SÃO PAULO: 59 candidatos / 6 eleitos
SERGIPE: 4 candidatos / 1 eleito
TOCANTINS: 2 candidatos / 0 eleitos

Fonte: BBC Brasil


0 comentários:

Postar um comentário