domingo, 16 de junho de 2013

Neopentecostal? Como identificar se sua igreja é uma.



por Rafael de Lima 

Penso que um dos grandes problemas da igreja evangélica na atualidade está em torno da sua falta de identidade. O ser evangélico tem se tornado algo extremamente vago em nossos dias.

Da mesma forma, se afunilarmos um pouco mais a questão, perceberemos uma intensa falta de identidade denominacional entre as igrejas protestantes e evangélicas.

 Em décadas passadas a designação congregacional, presbiteriana, batista, assembleiana, etc., expressava significados relativamente claros. O rótulo denominacional não exprimia apenas um nome, mas um conjunto de crenças. Exemplificando temos que o ser congregacional representava, basicamente, a aceitação dos 28 Artigos da Breve Exposição das Doutrinas Fundamentais do Cristianismo, a compreensão do batismo e da Santa Ceia como ordenanças que representavam símbolos da fé cristã, a ministração do batismo por aspersão em pessoas que declarassem a fé cristã (vedado, por exemplo, o batismo por imersão e o pedobatismo), o regime de governo congregacional, entre outras questões.

         Em nossos dias há uma confusão patente a este respeito. Com o desenfreado crescimento de igrejas e grupos, a cada dia os rótulos denominacionais têm perdido o seu real significado. Hoje, uma igreja que apresente em sua placa a expressão batista, congregacional, presbiteriana, etc., não necessariamente possuirá uma doutrina saudável e bíblica, nem terá qualquer relação com tais denominações históricas. Um dos fatos que mais se tornam evidentes neste cenário está em torno da mudança de nome da Igreja Cristã Nova Vida, que suprimiu a expressão “pentecostal” de sua designação acrescendo a palavra “cristã”, pois a mesma não representava mais a realidade da denominação, estando, atualmente, intimamente ligada às igrejas neopentecostais[1].

Na verdade, muitas igrejas que têm um rótulo de denominação histórica não passam de grupos neopentecostais transvestidos. Ainda que muitos encarem esse fato como sendo algo fútil, o mesmo revela importantes riscos para a saúde espiritual e doutrinal dos membros do Corpo de Cristo, visto que muitos cristãos têm sido levados para tais congregações, sobretudo por sua placa, deixando de lado o que realmente diferenciará uma igreja bíblica de uma não bíblica, isto é, a doutrina.

Diante disto, destaco alguns pontos para que você possa identificar se sua igreja, independente da placa que possui, é ou não uma igreja que está inserida no fatídico e fétido cenário neopentecostal.

Primeiramente, qual o tipo de “sermão” que tem sido pregado em sua igreja? Qual o objetivo do sermão? Ele tem um foco cristocêntrico? Infelizmente, muitas igrejas ou grupos que trazem em sua placa o nome de uma denominação história, têm abandonado as mensagens bíblicas e dado ênfase a repugnante Teologia da Prosperidade. Mensagens que enfatizam o homem, o ego, a benção, a fé na fé, a confissão positiva, a obrigatoriedade da cura, etc., são essas os tipos de mensagens que têm sido apresentadas em sua igreja? Se a resposta for positiva, receba minhas condolências.

A sua denominação é adepta da “visão celular dos 12”? Ela acredita que essa é a visão de Deus para os nossos dias? Quem sabe ela não tenha passado a militar em torno da ordenação apostólica, afinal o “apóstolo”, líder de sua igreja, é um grande homem de Deus e não deve estar errado, independente de os critérios para se conhecer um verdadeiro apóstolo sejam, entre outros, que ele tenha visto a Jesus (1Co 9:1; 1Co 15:8), tenha sido escolhido e enviado pelo Mestre (Lc 6:13; Jo 6:70; At 9:15), tenha sido testemunha de sua ressurreição (At 1:22; 1Co 15:8,15), etc.

A sua igreja, apesar possuir uma designação histórica ou pentecostal clássica, tem dado ênfase à “unções” excêntricas? Unção do riso, dos quatro seres viventes, unção da capa, do “shu profético”, etc.? Quem sabe, sua congregação tem dado um destaque demasiado e equivocado à “batalha espiritual”, realizando demarcação de territórios ou comandado anjos nas regiões celestiais.

Na sua congregação o mais importante são as experiências particulares, ou mesmo o momento dos cânticos em detrimento da pregação e da doutrina? A sua igreja possui uma abordagem equivocada da “doutrina do Espírito Santo”, onde a ênfase não é outra se não a de fomentar entre os membros o surgimento de experiências particulares, estranhas e contrárias à Escritura?
  
E, por fim, sua igreja está centralizada em torno de um líder carismático, o ungido de Deus que não pode ser tocado, o “apóstolo” ou o “bispo” legítimo possuidor da “visão de Deus”?
                     
         Caro leitor, sinto-lhe informar que se na sua congregação esses pontos estão presentes, a mesma tem perdido o foco do cristianismo bíblico e da sã doutrina, abraçando ensinamentos contrários às Escrituras, que têm pretendido colocar o homem no trono e de lá retirar o Único Rei, que têm objetivado promover um inchaço desordenando nas congregações abrindo mão de toda a espiritualidade sadia, tratando a igreja como um grupo de auto-ajuda e não como uma Casa de Oração. “Se eu fosse o diabo, um de meus primeiros alvos seria fazer as pessoas pararem de pesquisar a Bíblia” (J. I. Packer)[2].

"Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina. Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério". (2Tm 4:2-5 – NVI)[3]



Notas



[1] Indico a leitura do livro O fim de uma era, de autoria do bispo Walter McAlister, e publicado pela editora AD.

[2] BLANCHARD, John. E-book. Pérolas para a Vida. São Paulo: Vida nova, 1993, p. 150.

[3] A versão utilizada neste artigo é a Nova Versão Internacional (NVI) publicada pela International Bible Society.

35 comentários:

  1. Excelente texto e excelente blog. Não o conhecia, vou seguir. Também sou blogueiro (coisa rara atualmente rsrs) e escrevi sobre neopentecostalismo também, não tão bem quanto, mas segue o link: http://www.sigocaminho.com/2013/04/minha-igreja-e-neopentecostal.html

    Abraços meus irmãos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário amado.
      Muito bom o seu blog e o texto.

      Deus abençoe.

      Excluir
    2. Deus seja louvado,ótimo conteúdo!

      Excluir
  2. Belo texto muito bem explicado,acredito que poucos escreveria melhor parabéns.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário! Que Deus possa ser glorificado através destes artigos. Abraços

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos lá.... Respondendo por partes.

      “Sou membro de uma igreja neo pentecostal a 3 anos e fui membro de uma igreja tradicional por 17 anos. Sou bacharel em teologia, com especialização em capelania, psicanalise clinica cristã e atendimento pastoral. Conheço muito bem os dois lados na teoria e na prática. e posso afirmar com toda certeza que VOCÊ NÃO SABE O QUE ESTÁ FALANDO”.

      Bom... veremos quem não sabe o que está falando.

      Não me importo com a sua formação... qualquer pessoa que tenha o mínimo de conhecimento da teologia verdadeiramente cristã e de história da igreja não ousaria fazer menção de defesa à Teologia da Prosperidade.

      “Você sabe o que significa ‘fatídico e fétido’?”

      Fatídico e fétido são duas expressões que representam perfeitamente o que o neopentecostalismo representa. Se você ainda tem dúvidas quanto ao significado, o “pai dos burros” poderá ajudá-lo.


      “A igreja que vai subir não é visível e não tem placa. Existem almas sinceras (como eu) que fazem parte da igreja noiva de Cristo em igrejas tradicionais, pentecostais e neopentecostais”.

      Concordo. A Igreja de Cristo, a Noiva do Cordeiro é formada por pessoas que foram resgatadas pela obra expiatória de Cristo e não são classificadas por placas denominacionais. Creio que nas igrejas neopentecostais existam cristãos sinceros e que foram resgatados por Cristo, porém estão inseridos em um ambiente que não é sadio e que não prega a Sã Doutrina. É dever dos cristãos exortar aos seus pares acerca dos desvios a fim de que haja crescimento e arrependimento.

      “E ninguém que faça parte da noiva Cristo pode ser chamado de fatídico e fétido”.

      O que eu chamei de "fatídico e fétido" foi “cenário neopentecostal”, isto é, um conjunto de crenças e doutrinas heréticas que tem contaminado a Noiva de Cristo. A Igreja de Cristo é linda, pura, imaculada. As crenças neopentecostais são malignas, tenebrosas e contrárias à Sã Doutrina. Um pouco de interpretação de texto vai bem.

      “Teologia da prosperidade: deixa eu te fazer uma pergunta: de que igreja você é? A igreja tradicional que fui membro por 17 anos, é a Assembleia de Deus Ministerio de Madureira, e fui membro tambem de uma igreja pentecostal”.

      Bom... não sei onde você se formou, mas vejo que não foi em um bom seminário em termos de ensino acerca da história do protestantismo brasileiro... vamos lá, as Igrejas Assembleia de Deus, não são igrejas tradicionais, mas pertencem ao chamado Pentecostalismo Clássico (ainda que hoje muitas sejam, na verdade, neopentecostais). Essa foi a primeira onda do pentecostalismo no Brasil. Já os neopentecostais pertencem a chamada “Terceira onda”. Congregacionais, presbiterianos, batistas, metodistas, luteranos.... esses são os chamados cristãos tradicionais. Enfim, você nunca foi membro de uma igreja tradicional.
      Eu sim, já fui de uma igreja pentecostal e de uma igreja tradicional. Conheço os dois lados.

      Excluir
    2. “Durante esse tempo vi pessoas serem proibidas de participarem da santa ceia do Senhor por não dar o dizimo. Vi pastores divulgarem publicamente de forma oral e escrita os dizimistas do mês. Durante o tempo que estou nessa neopentecostal nunca vi nenhum tipo de controle ou imposição acerca do dizimo. Você disse que falar de prosperidade é repugnante, e isso você não acha repugnante? Eu acho no mínimo hipocrisia. Nas neopentecostais ninguém sabe quem deu ou não”.

      Bem, se isso aconteceu na igreja que você fazia parte, o que posso fazer é lamentar. Mas, citar um equívoco de uma igreja pentecostal acerca do dízimo não corrige os desvios cometidos por aqueles que abraçam os “dogmas” neopentecostais. Isso não é argumento.

      “Outra coisa, você só viu o lado vazio do copo. As igrejas tradicionais se tornaram insípidas. Não evangelizam e criticam quem o faz. Jesus disse: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei." Se tornaram insípidas pois as pessoas entram cansadas e saem cansadas, entram sobrecarregadas e saem sobrecarregadas, entram doente e saem doentes, entram com problemas e saem com dois. E o único recurso é falar mal das igrejas neopentecostais as acusando de enfatizar as experiencias. As tradicionais não o fazem pois caíram no comodismo”.

      Não tenho dúvidas que as igrejas tradicionais tenham muitos problemas. Para mim, o pior deles é o abraço do pragmatismo. Fazendo justamente o que o nepentecostalismo faz... “os fins justificam os meios”... muitas igrejas tradicionais tem abraçado o mal do neopentecostalismo e isto tem causado um grande mal na igreja brasileira. Acerca das experiências... todas elas devem estar sujeitas ao crivo da Palavra. Experiência são importantes desde que fundamentadas na Bíblia... fora disso não tem validade. O que temos visto é o oposto... ênfase nas experiências em detrimento da Palavra.
      Sem dúvida existe muito comodismo entre os cristãos, não so tradicionais, mas entre outras confissões. É um mal que deve ser combatido.

      “Sua congregação não tem problemas? Ou você é um dos que não tira a trave de teu olho e fica apontando o cisco no olho de teu irmão”.

      Todas as igrejas têm problemas. A minha, ao menos historicamente, tem buscado manter uma pureza doutrinária. Um ponto que é basilar pra qualquer igreja que busque viver uma vida de piedade.

      “Você conseguiu essas informações pela internet?”

      Sou formado em história e pesquiso sobre história do protestantismo no Brasil. Bom, a internet é uma boa ferramenta, mas existem bons livros sobre o assunto. Se quiser posso indicar alguns pra você.

      “Você está prestando um desserviço ao evangelho”.

      Desserviço quem está causando são os divulgadores dessa terrível visão de cristianismo. A teologia da prosperidade é um câncer que deve ser extirpado das igrejas!

      Excluir
    3. “Procure concentrar seus esforços em ganhar almas”.

      Almas são ganhas com a pregação genuína do evangelho. Isso parte de um conhecimento bíblico acerca do que Deus é, do que o homem é em seu estado de pecado e da obra de Cristo. Pecado e cruz são temas abandonados na Teologia neopentecostal. Sem isso é impossível ganhar almas. Um famoso pregador neopentecostal disse: “Em minha igreja não prego sobre o inferno nem sobre o pecado, meu membros tem muitos problemas para que eu acrescente estes outros”. Almas nunca serão salvas sem arrependimento. E sem o conhecimento do que representa o pecado elas nunca se arrependerão.

      Um conselho final: Faça uma reciclagem em algum seminário teológico. Mas dessa vez escolha um bom! Que promova uma boa teologia. Procure também conhecer um pouco sobre história da igreja, isto irá auxiliá-lo bastante.

      No mais, peço que Deus lhe abra os olhos para os desvios do neopentecostalismo.

      Se achar conveniente envie uma tréplica.

      Em Cristo,

      Rafael de Lima

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ola...lia sua resposta,,,,não importa o que passamos sentimos,mas o importante e entrar no reino de DEUS...neo pentecostal,pentecostal ou tradicional,cremos no mesmo DEUS...O EVANGELHO TEM DE SER PREGADO,E ALMAS GANHAS,QUEM NOS JUNGARÁ?????

      Excluir
    2. Eu não creio no mesmo Deus que muitos pregam por ai. O deus da teologia da prosperidade não é o meu Deus, um deus que se submete aos caprichos de homens. O Deus a quem eu sirvo é Senhor de tudo e de Todos e não recebe ordens de homens, como vejo em muitas igrejas neo pentecostais ("eu decreto, eu exijo"). E isso que se prega em muitas dessas igrejas, não é o evangelho. Obrigado por comentar e volte sempre.

      Excluir
  7. Senhor autor. Poderia ser mais educado ao citar seus irmãos em Cristo. Respeitaria seus conhecimentos se fossem imparciais a respeito. Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio que tenha sido mau educado. E não existe imparcialidade... em nada. Obrigado por comentar

      Excluir
    2. Prezado, lamentável ter excluido os comentários aos quais replicou.
      Pela forma com que agiu reflete a gaiola que colocou o Espírito Santo, as Escrituras... as igrejas... enfim.
      Deus tenha misericórdia de sua caixinha.

      Excluir
    3. Em primeiro lugar, o comentário foi excluido pelo autor do comentário e não por mim... não faria o menor sentido eu responder um comentário que exclui... de toda forma, não havendo palavras de cunho indecente publico todos os comentários e, na medida do possível, faço minhas observações.

      Excluir
    4. Em segundo lugar, o que dita os limites em que os cristãos devem ir são as Escrituras Sagradas. Todo verdadeiro cristão deve sim, estar dentro dos limites de um caixa chamada Bíblia Sagrada, ela é o juiz que determina os limites onde devemos ir: "não ultrapasseis o que está escrito" (1Co 4.6b)

      Excluir
    5. Em terceiro lugar, nos meus próprios comentários eu menciono entre aspas o que havia sido dito, de forma que não faz o menor sentido eu querer ocultar o que foi dito, visto que eu mesmo repeti.

      Excluir
  8. Um ótimo texto esclarecedor também! e acredito também que hoje em dia as igrejas estao com muita EMOÇÂO e pouca RAZÃO na qual esta é a palavra de Deus. Viva e Eficaz.

    ResponderExcluir
  9. infelizmehte é a emoção superando a razão ... nao deveria ser assim nas igrejas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário.
      O nosso culto deve ser racional. Não é que não haja espaço para a emoção, mas tudo deve ser alicerçado na Escritura.

      Excluir
  10. Parabéns pelo texto, muito elucidativo. Exposição excelente, bate em numero, gênero e grau com meus pensamentos e do meu ponto de vista, do mau que o neopentecostalismo tem feito em nossos dias. Li, suas respostas e me passe alguns títulos sobre a História da Igreja e do Protestantismo que sugeriste àquele missivista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas obras mais gerais sobre História do Protestantismo no Brasil:

      - História do culto Protestante no Brasil, de Carl Joseph Hahn.
      - O protestantismo brasileiro: estudo de eclesiologia e de história social, de Êmile-Guillaume Léonard.
      - História documental do protestantismo no Brasil, de Duncan Alexander Reily
      - O celeste porvir: a inserção do protestantismo no Brasil, de Antônio Gouvêa Mendonça.
      - História da evangelização do Brasil: dos jesuítas aos neopentecostais, de Elben M. Lenz César.

      Obrigado por comentar e volte sempre

      Excluir
  11. Shalom,
    Eu aprendí que não se deve isolar um versículo da bíblia sem ler todo o contexto dele, sendo assim mudaria o real sentido. Não abro mão dos pilares da visão que é GANHAR, CONSOLIDAR, DISCIPULAR E ENVIAR. Esses pilares (que sustenta) remete ao fato de ganhar vidas para Jesus, de povoar o céu. Apenas somos pessoas que se importam com o próximo, quem entra em uma a igreja celular, ganha uma família. e sobre o Espírito Santo... meu caro, entenda o que está lá em I Tessalonicenses, capítulo 5... "não extinguis o espírito que vivifica o homem interior"
    fica na paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você aprendeu a não isolar versículos, essa é a base de uma boa exegese bíblica. Falta aqueles que são adeptos da "visão" fazerem o mesmo e abandonarem aquilo que não procede das Escrituras. Obrigado pelo comentário e volte sempre.

      Excluir
  12. Olá,a Paz do Senhor.
    Muito bom esse texto... Eu fico muito triste em ver a forma ao qual muitas das igrejas de hoje tem tratado e falado da pessoa de Cristo e pior que isso é ver igrejas onde o Espirito Santo não é bem vindo, o púlpito serve apenas para falar de bênçãos pessoais o caráter moral do Cristianismo de verdade tem se esvaziado e muito!...

    Essas pessoas tratam a Cristo como servo e não como Senhor e Salvador.

    A Paz do Senhor!.

    ResponderExcluir
  13. Olá,a Paz do Senhor.
    Muito bom esse texto... Eu fico muito triste em ver a forma ao qual muitas das igrejas de hoje tem tratado e falado da pessoa de Cristo e pior que isso é ver igrejas onde o Espirito Santo não é bem vindo, o púlpito serve apenas para falar de bênçãos pessoais o caráter moral do Cristianismo de verdade tem se esvaziado e muito!...

    Essas pessoas tratam a Cristo como servo e não como Senhor e Salvador.

    A Paz do Senhor!.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente essa é a realidade em muitas igrejas. Lutemos para que isso deixe de existir. Obrigado por comentar e volte sempre.

      Excluir
  14. Gostei muito do texto bíblico,pesso colocar no meu blog,meu amado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode publicar. Apenas cite o blog e o autor nos créditos

      Excluir
  15. Muito bom o texto, e sei o que é viver debaixo desse sistema religioso dos neo pentecostais, cheguei perto de ser pastor...mas pelo que eu fazia pela instituição não pelo que eu era em Deus...a partir do momento que VC não da mais lucro VC é jogado de lado... Graças a Deus que tive minha experiência de conversão e com a palavra de Deus...foi o que me sustentou esses anos...mas hj graças a Deus estou em uma denominação que prega a salvação a santidade a comunhão com Deus e com os irmãos... Não que fala que VC vai ganhar um carro zero se VC der uma oferta de 1.000 reais...graças a Deus ...como o irmão falou servimos a Deus racionalmente pela palavra e não por teatros sensacionalistas e seus respectivos atores...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, irmão. Seja grato a Ele por ter lhe libertado desse sistema religioso.

      Excluir