sábado, 22 de setembro de 2012

A necessidade de uma “nova Reforma Protestante” no aviltamento evangélico



                    Por Jadson de Paula


            Quando o IBGE (Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou os resultados do Censo 2010 sobre religiões, os números apresentados revelaram um dito crescimento evangélico no país, sem nenhuma diferença denominacional, os milhões de professos crentes contabilizados fazem parte da mesma salgalhada gospel brasileira -, com dados esquisitos contendo 9,2 milhões de professos crentes não determinados. Uma espécie de ocultismo evangélico. Números que não falam a realidade e que, celebra o fúnebre cenário do aviltamento evangélico no Brasil, permeado por um contexto ante bíblico, com holofotes na figura humana, atrelado ao egolitrismo musical e ao avanço mercadológico do uso da piedade como fonte de lucro, impérios pessoais ministeriais – financeiros, etc., e etc. A igreja moderna avança sem freio com seu pseudo evangelho fazendo ativismo espiritual em nome de Deus, num apostolado ultrajante às Escrituras Sagradas. Uma realidade muito mais abrangente do que é visto, que manifesta em grande parte o abandono do livro de Deus.

O grito da Reforma Protestante há mais de 500 anos, foi ecoado para um retorno às Escrituras Sagradas e para as doutrinas bíblicas. Pois, um verdadeiro reavivamento envolve um interesse pelo Livro de Deus, mais do que intentar o extraordinário a igreja necessita antes do ordinário. O aviltamento evangélico brasileiro é confundido com avivamento -, mas algo distinto da Bíblia permanece indefinido, pouco duradouro cheio de fogo estranho sem interesse por entendimento e obediência a Bíblia -, resultando em quantidades desqualificadas e réprobos quanta fé e prática. O cenário cristão contemporâneo é um labéu moral e espiritual, a partir do erro grave do desinteresse à Bíblia, por conseguinte, as expressões de vida cristã desembocarão num enxurreiro: doutrinário, musical, ministerial, modernista, inconsistente, infrutífero, xavante, prospérrimo; psicologizante, supersticioso, etc. Lutero afirmou que “O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo Evangelho da glória e da graça de Deus”. E, esse tesouro estabelece os preceitos designados por Deus onde os homens devem caminhar e obedecer.

Em tal realidade evangélica no país, o interesse não pode ser pautar por um avivamento “reparador instantâneo” dos problemas da igreja. Faz-se necessário uma obra árdua “reformista”. São coisas ordinárias, pelas quais a Palavra de Deus ordena à igreja. A alteração do próprio centro espiritual, com um retorno vigoroso e maior instrução nas Escrituras.  A necessidade não é apenas para alterar o curso em que a igreja se encontra, mas a partir da reformulação do aviltamento evangélico, o próprio curso da sociedade seja reorientado com tendências sociais em geral. Assim, como foi a partir da Reforma Protestante; que estruture a robustez doutrinária e o estado de assuntos para além da esfera eclesiástica. A.W. Tozer expressou que “a reforma deve preceder o reavivamento porque aqueles que não são de forma apropriada reformados, não serão de forma digna reavivados”. Para despertar a vigente igreja hodierna do sono mundano para a devoção ao Deus Soberano, desvinculando-se das práticas errôneas que caracterizam a moderna igreja, que testemunha ao mundo, um caráter pseudista de evangelho.  A realidade é testemunha que no cênico aviltante de expressões mil de espiritualidade abjetas, a necessidade hodierna é apológica. Reformar requer arduidade, mas se faz necessário (restaurar o senso da eternidade), na vida da igreja – e pô-lo na urdidura da trama das nossas vidas cristãs. “Pois, tudo o que fazemos é feito a Luz da eternidade, pregamos, pensamos, cantamos, trabalhamos etc., a luz da eternidade” (Brian Edwards - parafraseado), e não, a luz do que é temporal.


Notas
___________________________________---

[1] As 95 teses de Martinho Lutero. Site: http://pt.wikipedia.org/wiki/95_Teses

[2] JÚNIOR, Carlos Pereira da Costa. Avivamento ou aviltamento. Site: www.monergismo.net

[3] HANKO,Ronald. Reforma ou reavivamento: O que a igreja precisa? Site: www.monergismo.net

[4] Entrevista com Lutero – As 95 teses: Site: www.josemarbessa.com


Um comentário: