segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Rússia pune vandalismo anti cristão da banda de punk rock Pussy Riot



A juíza russa Marina Syrova acabou de dar uma sentença de dois anos de cadeia para a banda de punk rock feminista russa Pussy Riot como consequência do “vandalismo” delas motivado por ódio anticristão. A juíza Syrova chamou a conduta delas de “blasfema” e a descreveu como “violação grave da ordem pública que mostra desrespeito óbvio à sociedade”. Ela também disse: “As ações das jovens foram sacrílegas, blasfemas e violaram as leis da Igreja”.
A banda encenou um protesto contra o presidente Vladimir Putin dentro da Catedral de Cristo o Salvador, uma igreja ortodoxa russa em Moscou. A “reza punk” delas vomitou letras anticristãs misturadas com ódio enquanto elas estavam de pé na solea (a plataforma em frente do altar). No ocultamento de suas máscaras balaclava, elas “corajosamente” seguiram o exemplo de propaganda e marketing da decadente cantora americana Madonna — sabendo que o jeito mais rápido de gerar um dilúvio de atenção dos meios de comunicação é lançar ataques contra o Cristianismo, e quanto mais blasfêmias, indecências e palavrões, melhor.
Blasfêmia a Cristo no templo no protesto da banda
De acordo com uma notícia da Fox News, as integrantes da banda — Nadezhda Tolokonnikova, 23; Maria Alyokhina, 24; and Yekaterina Samutsevich, 29 — “disseram que não tinham a intenção de magoar os sentimentos religiosos de ninguém” durante sua “reza punk”. Justamente. Essa consideração para com os cristãos é, evidentemente, a razão por que elas chamaram a igreja de uma “inflamação cheia de pus” e condenaram “a estrutura de poder político” da igreja.

Em recentes comentários, “Intolerância contra os cristãos na Rússia nos séculos XX e XXI”, Alexey Komov, diretor de uma organização de defesa da família na Rússia, descreveu a destruição durante as sete décadas passadas de 80 por cento das igrejas da Rússia e a morte de dezenas de padres e monges. Ele também mostrou o crescimento dramático de 80 por cento em número de cristãos russos em décadas recentes de reavivamento cristão, que tem produzido a recente revolta anticristã. Líderes russos como Komov; o Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa Kirill; Natalia Yakunina, diretora do programa “Santidade da Maternidade”, e o metropolita Hilarion (Alfeyev), presidente do Departamento Sinodal de Relações Extrangeiras da Igreja Ortodoxa Russa, estão trabalhando para se opor às forças anticristãs e anti-família que estão tentando minar o recente progresso para restaurar essas bases na cultura russa.

Fonte: www.juliosevero.com


0 comentários:

Postar um comentário