quinta-feira, 14 de junho de 2012

Crianças das escolas da Coreia do Sul estão livres da imposição de aprender a teoria da evolução




Editoras removerão qualquer menção às macaquices de Darwin de livros e apostilas.
Tudo começou quando a Sociedade de Revisão de Apostilas, composta de professores de biologia e de ciências, lançou protestos dirigido às editoras e uma petição para revisar textos sobre a teoria da evolução em apostilas. Os professores apontaram muitas publicações que mostravam exemplos dessa teoria, inclusive aquela famosa figura que mostra um ancestral muito parecido com um macaco se transformando em um homem, de Charles Darwin. A petição da Sociedade de Revisão de Apostilas visando eliminar esses erros contra as crianças foi aprovada pelo Ministério da Educação do da Coreia do Sul.
Assim como no Brasil, na Coreia do Sul o criacionismo tem milhões de adeptos.
Contudo, muito diferente do Brasil, onde uma minoria ateísta radical impõe goela abaixo a incomprovada teoria da evolução em milhões de crianças cristãs, a Coreia do Sul conseguiu reagir a essa teoria importada originalmente da poderosa esquerda ocidental. O número de igrejas cristãs grandes, inclusive a famosa e tradicional igreja Assembleia de Deus de David Yong Cho, parece estar tendo um impacto positivo na sociedade sul-coreana, trazendo como resultado liberdade para as crianças da escravidão ideológica dos que não acreditam em Deus como Criador.
A imposição de qualquer ideologia em sala de aula gera o aumento de adultos que a aceitarão no futuro, por terem sido doutrinados nela desde quando eram crianças nas escolas. Nos Estados Unidos, uma pesquisa do Gallup apontou que 40 da população não acreditam na teoria da evolução. Esse número, no passado, era muito maior, mas os adeptos dessa teoria sempre tiveram a vantagem de obrigar as crianças de escolas a aprender sua ideologia, lutando ferozmente contra qualquer tentativa de se ensinar Deus como Criador.
Os cristãos são 26 por cento da população da Coreia do Sul, um número muito menor do que a população cristã dos EUA. Mesmo assim, os cristãos sul-coreanos agiram contra a imposição de uma teoria flagrantemente anticristã em seus filhos.
O criacionismo começou a ganhar força na Coreia do Sul depois da Cruzada Mundial de Evangelização, realizada em Seul, em 1980. No ano seguinte, foi fundada a Associação Coreana de Pesquisas da Criação, que está ligada à Sociedade de Revisão de Apostilas.
Apesar de que grupos ateístas, evolucionistas e esquerdistas do mundo inteiro estão indignados com a vitória cristã na Coreia do Sul, os cristãos dessa nação estão determinados a confrontar essa minoria barulhenta e mandona e sua pseudociência.

Com informações da revista Galileu e Daily Mail.
Fonte: Julio Severo

0 comentários:

Postar um comentário