sexta-feira, 6 de abril de 2012

Cidade norte americana proíbe distribuição de Bíblias em festival gay




Nos Estados Unidos, militantes gays conseguiram convencer a prefeitura da cidade de Minneapolis a proibir a distribuição de Bíblias e também a aproximação de qualquer pessoa que tente propagar mensagens cristãs no Festival Orgulho Twin Cities, que acontece anualmente na cidade.
Brian Johnson, que durante vários anos realizou um trabalho de entregas de Bíblias no evento, está movendo uma ação na justiça federal contra a prefeitura, por violar os direitos de liberdade de expressão. O evento, que é realizado em um espaço público, em um parque da cidade, onde delimitada uma área para o festival, o que não caracteriza exclusividade aos organizadores.
Nate Kellum, advogado que está auxiliando Johnson, disse que, “A prefeitura não deveria estar exilando a liberdade de expressão”. “É ridículo dizer que o único lugar onde uma pessoa pode entregar uma Bíblia é em uma área onde não há ninguém para se entregar uma Bíblia. A Constituição simplesmente não permite que a prefeitura relegue a liberdade de expressão a regiões isoladas onde ninguém pode receber a mensagem. Isso não é liberdade de expressão. É pura censura”.
O evangelista Johnson realiza o trabalho de distribuição de Bíblias no Festival de Orgulho Gay desde 1995, e afirma que nunca pregou mensagens de confrontação ou condenação aos homossexuais, apenas falou do amor de Jesus. O evento atrai mais de 200 mil pessoas à cidade, e segundo Johnson, é um momento perfeito “para alcançar tantas pessoas quanto possível para com a mensagem das boas novas”.
Até o ano de 2009, Johnson montava um stand no local do evento, onde distribuía as Bíblias, mas a partir desse ano, a organização do evento negou que ele o fizesse, e ainda o confrontaram quando tentou distribuir as Bíblias, o que o levou a ser preso por invasão de propriedade e liberado posteriormente.
Mas, desde então, Johnson vem enfrentando uma batalha judicial contra a prefeitura e a organização do evento, que tentam impedi-lo de realizar o trabalho cristão no festival. Em 2011, foi determinado o estabelecimento de uma “zona de expressão livre” no evento, entretanto, os organizadores posicionaram a área muito distante do público, o que impossibilitou o evangelista de alcançar as pessoas com a mensagem.
A próxima edição do festival acontecerá em junho deste ano, e o que está definido judicialmente até agora, é o banimento da distribuição de Bíblias, assim como o exílio de qualquer pessoa que tente falar de Jesus no evento.

Post original em GospelMais

0 comentários:

Postar um comentário