sábado, 3 de março de 2012

Os “evangélicos” e seu “deus” infantil e fracassado


  
por Rafael de Lima

Os movimentos, ditos evangélicos, têm criado “cristãos” a cada dia mais desequilibrados, pessoas que não tem o mínimo senso, nem temor nem tremor diante de Deus. Muitos se acham no direito de exigir a Deus que este lhes abençoe, pensam serem capazes de colocar Deus num canto de parede e vociferarem: “O Senhor é obrigado a me abençoar, pois sou seu filho”. Qual a palavra que melhor define este tipo de pessoa? Louco!
O antropocentrismo, sem dúvidas, tem contaminado a igreja evangélica e se alastrado como um tipo de lepra espiritual. O ego humano tem estado em evidência não apenas entre os membros de igrejas, mas muito mais nos altares. Os “profetas gospéis” têm feito a alegria das massas. Declaram bênçãos e mais bênçãos, vitória sobre vitória, saúde e mais saúde, riqueza e mais riqueza. Como não lembrar do livro do profeta Jeremias, e focando especificamente no capítulo 28, onde ele contendia com o falso profeta Hananias. Este último profetizava paz, restauração, prosperidade. Jeremias, por sua vez, como verdadeiro profeta do SENHOR, proclamava que a ira de Deus seria derramada e que o cativeiro já estava às portas. A quem o povo escutava? Ao falso profeta! Àquele que tinha compromisso com o ego humano, que falava o que as pessoas queriam ouvir e não o que Deus realmente estava ordenando, não o que era necessário que estes escutassem. Será que temos alguma coincidência com o presente estado da igreja evangélica? Sem dúvida alguma. Temos muitas!
Temos presenciado a transformação do amor de Deus por nós num tipo de mendicância, com se Ele fosse um ser que vivesse desesperado implorando que o homem o ame: “Por favor, me ame! Por favor, me adore! Por favor, cumpra o que eu digo”. A grande verdade é que nós não acrescentamos nada essencialmente a Deus, visto que Ele é um ser imutável, Sua glória não pode ser reduzida ou acrescentada. Como afirma Arthur W. Pink: “Deus não ganha nada, nem sequer com a nossa adoração. Ele não precisava dessa glória externa de Sua graça, procedente de Seus redimidos, porquanto é suficientemente glorioso em Si mesmo sem ela” (PINK, 1990, p. 06)[1].
Muitos outros tentam barganhar com Deus, com se houvesse alguma necessidade Nele que fôssemos capazes de suprir. Como vimos anteriormente, Deus é glorioso em si mesmo, é satisfeito em si mesmo. É impossível negociar com Deus. Como o próprio A. W. Pink assevera: “[...] é impossível submeter o Todo-poderoso a quaisquer obrigações para com a criatura; Deus nada ganha da nossa parte” (PINK, 1990, p. 07)[2]. Acerca disto o apóstolo Paulo conclui: “Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?” (Rm 11:34,35 – ACF)[3].
Este deus infantil e fracassado, que se humilha em busca de adoração, que implora que lhe dêem atenção, que negocia com o homem os seus favores em troca do amor destes, certamente não é o Deus da Bíblia. O Deus da Bíblia não negocia com o homem pois “[...] faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade” (Ef 1:11b – ACF).
Os tais que seguem este a quem chamam de deus, certamente não deveriam ser chamados de evangélicos! Eis a advertência do apóstolo Paulo: “Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé” (2Co 13:5a – ARA)[4].
Este é um clamor em favor do evangelho verdadeiramente teocêntrico! É tempo de voltarmos às Escrituras. Voltarmos à pureza do Evangelho. Amarmos a Deus, de fato, pelo que Ele é e não pelo que Ele pode nos dar.

“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar; O que reduz a nada os príncipes, e torna em coisa vã os juízes da terra” (Is 40:22,23 – ACF).



Notas


[1] PINK, Arthur W. E-book. Os Atributos de Deus. São Paulo: Editora PES, 1990.

[2] PINK, Arthur W. Op., cit., p. 07.

[3] A versão utilizada neste artigo é a Almeida Corrigida e Revisada Fiel ao Texto Original (ACF) publicada pela Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, exceto quando citado.

[4] Versão Almeida Revista e Atualizada (ARA) publicada pela Sociedade Bíblica do Brasil.

3 comentários:

  1. Concordo! Texto muito bom, algumas pessoas tem que abrir os olhos pra perceber que nós precisamos de Deus pra tudo, e não o contrario.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, gostei muito do seu pensamento, visite meu site e veja alguns textos que eu criei: www.pescandoalmasparajesus.com

    ResponderExcluir
  3. Realmente olhos tem que ser abertos.

    ResponderExcluir