segunda-feira, 12 de março de 2012

AIDS é uma doença gay



Em uma declaração pública, Matt Foreman, diretor-executivo da National Gay and Lesbian Task Force (Força Tarefa Nacional Gay e Lésbica), sacudiu a comunidade ativista homossexual juntando-se ao Centros de Controle e Prevenção de Doenças (EUA), organizações pró-família e um número crescente de ativistas homossexuais dispostos a admitir que o comportamento homossexual é ao mesmo tempo extremamente de alto risco e principal responsável pela propagação do HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis.
Abordando o tema da AIDS, Foreman se desviou drasticamente da linha do lobby "gay" dos partidos e da mídia, ao admitir: “Internamente, quando esses números são divulgados, parece que nós damos de ombros, como se isso não é problema nosso. Gente! 70% das pessoas neste país com o HIV são gays ou bi, com isso não podemos negar que o HIV é uma doença gay. Temos de aceitar e enfrentar isso”.
Um pouco mais de um ano atrás, Lorri Jean, CEO do Centro Gay e Lésbico, de forma semelhante chocou a comunidade "gay", afirmando que, "O HIV é uma Doença Gay”.
A confissão de Foreman vem na esteira de uma carta de Matt Barber, da América America’s (CWA) Policy Director for Cultural Issues, convidando Foreman e outros ativistas homossexuais a trabalharem juntos à homossexuais, pois uma havia o risco de uma propagação epidêmica de uma variante mortal de infecção por estafilococos entre certos segmentos da comunidade "gay". O CDC reconheceu que muitos desses mesmos comportamentos de alto risco, como o sexo anal entre homens, são os principais responsáveis ??por espalhar HIV / AIDS.
Matt Barber afirmou sobre a confissão de Foreman: "É extremamente encorajador ver Matt Foreman, um ativista homossexual que por muito tempo fez negações sobre os perigos do estilo de vida que ele tem promovido, publicamente chegando a um acordo com os perigos inegável do estilo de vida gay. Eu só espero que ele agora pare de promover a conduta homossexual e pressione outras elites liberais, especialmente aqueles que funcionam em nossas escolas públicas, a fazer o mesmo. Educadores devem abordar sinceramente que o estilo de vida 'gay' é potencialmente de conseqüências mortais. A evidência está aí para todos verem. A National Gay and Lesbian Task Force tem agora, de fato, reconhecido essa realidade. Sua honestidade é refrescante e inesperada", concluiu Barber.
Fonte: LifeSiteNews.com

Post original em CACP 

0 comentários:

Postar um comentário