sábado, 18 de fevereiro de 2012

Sim, sou um cristão a favor do aborto!



por Rafael de Lima

Creio que seja consenso entre todas as pessoas o fato de que existem momentos na vida em que abortar determinadas situações é a melhor escolha. Muitas vezes, vivificar algo, no fim, só trará tristezas, decepções, aflições. Desta forma, é melhor que antes seja abortado!

A Igreja Evangélica Brasileira tem vivido dias difíceis. A cada dia a mídia noticia os absurdos que têm ocorrido neste “mundo gospel”. Não existe mais pudor, não existe mais santidade, não existe mais simplicidade.

Grande parcela dos ditos cristãos brasileiros não passa de gananciosos ávidos por prosperidade material, na prática, para eles ou Deus é seu servo ou, de outro lado, vivem como se Ele não existisse. Isso me faz lembrar certa questão apresentada pelo Rev. Augustus Nicodemos, que falando acerca de um novo segmento teológico (se é que pode ser assim definido), chamado de Ateísmo Cristão, afirma: “Ateísmo cristão é a negação do Deus cristão revelado na Bíblia por alguém que, ao mesmo tempo, tenta redefini-lo usando linguagem e termos evangélicos. Alguém que, na prática, vive como se ele não existisse”. (NICODEMOS, 2011, p. 78)[1]. De fato, não apenas estes que aderem tal concepção teológica têm vivido como se Deus não existisse, mas muitos que se dizem cristãos professos, membros de igrejas evangélicas, tem vivido como se Ele não existisse.

Os líderes, da mesma forma, demonstram sua soberba publicamente. Um destes guias (ou melhor, cego guia de cegos), cheio de ira, declara guerra a certo apresentador de televisão, afirmando que é capaz de orar e fazer descer fogo do céu. É impossível não lembrar o que Jesus afirmou a seus discípulos em certo episódio: “E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se, porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois. Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las. E foram para outra aldeia” (Lc 9:54-56 - ACF)[2]. Em outro momento, este mesmo, afirma que Jesus não passa de um ser criado, trazendo à tona uma heresia antiga, o arianismo (veja o artigo: Não se entregue a este Jesus). Outro destes líderes ensina os seus “bispos” a como extorquir dinheiro de seus fiéis: “ou dá ou desce”. O outro chefe conclama os seus fiéis a doarem “singelas” ofertas de 900 reais ou então, quem sabe, doar a parcela de um mês da sua casa! Mas o que nos diz a Escritura? “Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância” (Tt 1:7 – ACF). O outro sábio adere a Teologia Relacional, porque afinal, Deus não pode saber o futuro mesmo e muito menos controlar a história! Para este o que o próprio Deus afirma? “Quem é este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento? Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência” (Jó 38:2,4 – ACF). O outro cabeça firma acordo com seita do Reverendo Moon, levando um dos líderes deste movimento sectário ao altar de sua igreja e concedendo-lhe o púlpito. Acerca deste o Espírito afirma: “MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (I Tm 4:1 – ACF).

Diante disto tudo, o meu clamor é sim a favor do aborto! Sou a favor que seja abortado o falso evangelho pregado pela teologia da prosperidade; Sou a favor que seja abortado o legalismo que prende a igreja; Sou a favor que seja abortado o vislumbre que cega os nossos líderes a respeito deste pseudo-crescimento evangélico no Brasil; Sou a favor que sejam abortados os shows da fé, que enaltecem apenas o homem; Sou a favor que seja abortado todo e qualquer evangelho que não seja o evangelho da graça!

Todavia, apesar de tudo isto, a Igreja de Cristo, a noiva do Cordeiro; a verdadeira Igreja católica, universal; a Igreja invisível... Permanece pura e edificada sobre o seu firme fundamento, Jesus, o Cristo!  

“Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16:18 - ACF).



Notas



[1] NICODEMOS, Augustus. O ateísmo cristão e outras ameaças à Igreja. São Paulo: Mundo Cristão, 2011.

[2] A versão utilizada neste artigo é a Almeida Corrigida e Revisada Fiel ao Texto Original (ACF) publicada pela Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil.


4 comentários:

  1. Deus abençoe! O tema muito assustador, mas a matéria veio com um ar de "acorda". Gostei muito. Devemos abortar esse movimento gospel dos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário brother!
    A ideia era trazer um susto mesmo através do tema!
    Que o Senhor possa levantar uma geração que milita pelo verdadeiro evangelho!

    Soli Deo Gloria

    ResponderExcluir
  3. Quanto a Pedro ser o "fundador da igreja" veja 1Ped 5:1 "Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles..."
    E ainda, a interpretação literal deste verso usado como pedro sendo o "fundador", deve respeitar as seguintes linhas que se seguem como literais tambem "Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens." Mateus 16:23.
    Fato é, o primeiro se refere à igreja e o segundo ao diabo tentando o persuadir a desistir de Sua missão... ha não ser que queiramos dizer ser pedro satanás?
    Nada de blasfemia, é apenas uma exegese e hermeneutica do texto corretamente!

    Em Cristo.


    Julie Castin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário!

      De fato, creio que Pedro não foi o fundador da Igreja e, logicamente, Cristo!

      "Pois também eu te digo que tu és Pedro(pequena pedra), e sobre esta pedra (grande rocha = Cristo) edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

      Graça e Paz

      Soli Deo Gloria

      Excluir